23.11.13

Deep Fryars


Ben Garrett (Fryars) tem por aqui um crédito alargado desde que começou a dar sinais de talento precoce com o extraordinário EP "The Ides", cuja cobiçada edição vinil deu azo a uma perseguição implacável até colocar o dito cujo a rodopiar incessantemente no prato cá de casa. Algumas bem sucedidas mudanças de estilo depois, eis que surge mais um tentador EP, sem grandes surpresas, mas com o charme habitual...

Kickstarter matinal

White Denim


Farmácia de serviço

21.11.13

18.11.13

It's all right, Angel´s coming back.

Wes Swing

Hoje, às 22h, no Maus Hábitos:

"O norte-americano Wes Swing começou a tocar violino com 4 anos, teve um encontro com o violoncelo na universidade e soube valer-se da sua formação clássica sem nunca cindir.se a ela, encontrando um compromisso com a música pop. Como aconteceu com nomes como Andrew Bird, Owen Pallett, Patrick Wolf, Wes Swing aproveita-se dos loops e da sua voz para criar canções de imensa beleza e pertinência. Entre a folk e a música pop, sem esquecer as suas fundações clássicas, Wes Swing é um dos segredos mais bem escondidos da música norte-americana. Mas não durante muito mais tempo. O seu último trabalho, Through A Fogged Glass, comprova o seu imenso talento. Na companhia de Devon Sproule, Wes Swing apresenta-se no Maus Hábitos em estreia nacional e em data única. Uma noite a não perder."



Farmácia de serviço

14.11.13

Mutatis Mutanti(e)s


Boogarins, duo brasileiro neo-tropicalista formado pelos teenagers Fernando Almeida e Benke Ferraz, usa Os Mutantes como ponto de referência a partir do qual expande a sua paleta psicadélica para terrenos ainda não explorados pela maioria dos grupos psych-rock actuais cujas influências podem ser traçadas em linha recta até à icónica banda de Rita Lee e Sérgio Dias.
A história repete-se mas nem por isso.  É proibido perder.



Farmácia de serviço 1|2

13.11.13

Andrew Bird - I Want to See Pulaski at Night


Andrew Bird tem um novo EP de originais composto maioritariamente por instrumentais cuja autoria se revela inconfundível com as suas famosas estocadas de violino a bailarem à volta de ritmados pizzicatos. São sete harmoniosos temas com lugar cativo em qualquer compilação ornitológica.
A origem do curioso título do disco é explicada em detalhe no vídeo que se segue.



Farmácia de serviço

Chantal Acda - Let Your Hands Be My Guide


Olha-se para a lista de ingredientes, vê-se que contem doses generosas de Peter Broderick, Nils Frahm e Gioa Valtysdóttir e não há como resistir. Meia dúzia de segundos nos ouvidos e não há como sacudir as emoções à flor da pele. Para primeiro disco não esté mal.



Farmácia de serviço

Julianna. More.

Há um relaxante novo vídeo de Julianna Barwick para mais um tema retirado do belíssimo "Nephente", o que vem mesmo a calhar para recordar a sua recente passagem por Guimarães.


12.11.13

Vai uma orgia?

Em tempos de crise na industria discográfica, Anthony Gonzales (M83) deve ter pensado que o melhor é dedicar-se às encomendas cinematográficas de forma a garantir o cheque no correio.
Após (ainda este ano) ter contribuído para a banda sonora  de "Oblivian", atira-se agora de corpo e alma ao design sonoro de "You And The Night", primeira longa metragem do irmão, Yann Gonzales.
A sinopse - segundo o IMDB - é um mimo:
"You And The Night retrata um jovem casal e o seu empregado travesti, no decorrer da preparação para uma orgia. Os convidados serão The Slut, The Star, The Stud e The Teen".
Onde é que se arranjam convites?



Farmácia de serviço

Dream team....

Robin Pecknold, Daniel Rossen  e Neil Morgan pegam em "Corduroy" dos Pearl Jam e mostram como se faz. Uma desbunda.

10.11.13

Destroyer – Five Spanish Songs


Até podiam ser cinco canções em servo-croata, que o efeito era o mesmo - mais sotaque, menos sotaque - tudo o que Dan Bejar toca vira ouro sonoro e o resto é treta.



E por falar em Destroyer e Espanha...



Farmácia de serviço

8.11.13

Dia 30...

"And the water will come down and wash you down..."

Juan Wauters, líder dos garage rockers Beets, banda proveniente de Queens - o bairro menos cool de Nova Iorque (pensem em Archie Bunker) -, prepara-se para lançar (4 Fev.) o seu primeiro álbum a solo, pomposamente intitulado "N.A.P. North American Poetry", composto por doze canções em toada folk compiladas ao longo dos últimos três anos. Como cartão de apresentação temos esta desafetada "Water", cuja simplicidade lírica e melódica, deixa ainda assim algumas frases graffitadas na memória.



Farmácia em breve...

7.11.13

La valise de David

Mais achas para a lareira?

Por falar em bandas sonoras essenciais para serenar dias invernosos....


Cada vez mais longe de Cat Power e mais próxima de Chelsea Wolf, no novo "Blood/Lines", Emily Jane White conta com a preciosa colaboração de Marissa Nadler para ajudar a carregar na rugosidade folk de travo negro e melancólico. 

Depois de uma estreia avassaladora, a única coisa que se pedia a Agnes Obel, era que mantivesse o estado de graça deixado por "Phillarmonics", disco que tornou esta dinamarquesa numa figura de culto entre os que apreciam a difícil arte de preencher o silêncio de forma espartana e esteticamente irrepreensível. Missão cumprida com distinção.
O colossal talento e criatividade de Julia Holter parecem não ter limites e o espanto multiplica-se a cada novo disco. "Ekstasis" era uma magnífica obra-prima e o novíssimo "Loud City Song" mais se lhe arrima.

Emily Jane White - Blood)Lines
Agnes Obel - Aventine
Julia Holter - Loud City Song

Farmácia de serviço 1 | 2 | 3

Oh Jesus...


O shuffle do meu iPod sabe-a toda. Esperou pacientemente que o Outono saísse finalmente do armário e assumisse que prefere os chuvosos dias cinzentos varridos a vento sul, à esperança traiçoeira de tardes solarengas, birrentas e caprichosas, para me apresentar a nova colecção Outono/Inverno. E "Versions", de Zola Jesus, é mote perfeito para dar início à banda sonora.



Farmácia de serviço

Waiting for her man


Entre as habituais banalidades cuspidas sem esforço e os obituários "chapa quatro" guardados em gaveta, muita coisa foi dita sobre a recente morte de Lou Reed. Esta é a única que realmente interessa.

I'm Just Sayin'...